Make your own free website on Tripod.com
UNIPSIC
MÉTODOS AVAL. INDIV.

HOME

INFORMAÇÕES ÚTEIS
NOVIDADES
ESPAÇO PARTILHA
CALENDÁRIO
ANÚNCIOS E EVENTOS
CONTACTOS

MÉTODOS DE AVALIAÇÂO INDIVIDUAL

 

ATENÇÃO ESTA AULA É ESSENCIALMENTE SEGUIDA POR ACETATOS DISPONIBILIZADOS PELA PROF.                                                                         

                                                                                6/10/2003 1ª Aula

 Docentes da Cadeira

-        Leonor Almeida

-        Sandra Fraga

 

(leitura do Programa entregue pela professora em hardcopy)

 

 

                                                                                                 15/10/2003 2ª Aula

 

Avaliação Psicológica

 

O que é?

 

1 Introdução

2 Definição de teste psicológico

3 Utilização do teste psicológico

 

Determinação qualitativa e quantitativa de capacidade:

-         Cognitivas

-         Inteligência

-         Aptidões

-         Personalidade

 

Pedido de Intervenção Psicológica à Necessidade de recolha de informação (observação, entrevista, testes psicológicos) à Obtenção de informação à Diagnóstico

 

Avaliação Psicológica

Conjunto de procedimentos e práticas de recolha e interpretação de informação de natureza psicológica, descritiva das características e comportamentos dos indivíduos e grupos.

 

Freeman (1972) Teste Psicológico

Um instrumento de estandardização que mede objectivamente um ou mais aspectos de uma personalidade total através de amostras de respostas verbais ou não verbais, ou outras formas de comportamento

 

Anastasi (1998)

Teste Psicológico é uma medida objectiva e estandardizada de uma amostra de comportamento

 

Medida Objectiva

Pretende-se que a medida psicológica seja objectiva, i.e, independente do observador.

 

Medida Estandardizada

Característica fundamental dos testes psicométricos, dada a sua importância no rigor das medidas obtidas através destes instrumentos.

É uma das características

 

Amostra de Comportamento

A aplicação de um teste, circunscrita a um determinado momento e situação, visa conhecer não a totalidade do comportamento do avaliado, mas sim uma amostra do comportamento.

 

Dois critérios para a qualidade das medidas dos testes

Para que possam ser utilzados com segurança e garantia de rigor, os testes psicológicos devem ainda possuir 2 caracteristicas básicas:

-        Validade

-        Precisão

 

Validade e Precisão diferenças

-        Validade

Um índice de validade traduz o grau em que o teste mede o que visa medir, comparado com critérios externos reconhecidos (Freeman, 162, p.90)

 

-        Precisão

Consiste na possibilidade que um teste tem de fornecer resultados consistentes em várias medições (Freeman, 162, p.73)

A estandardização abrange

-        O material de teste

-        A aplicação do teste (instruções e procedimentos de aplicação)

-        O apuramento de resultados (cotação e derivação de resultados)

-        A interpretação dos resultados

 

 

 

Elementos que compõem um teste

Os testes são habitualmente constituídos por:

-        Um manual (técnico e de utilizador)

-        O teste propriamente dito (instrumento)

-        Folha de resposta ou de registo

-        Chaves de cotação (dependendo do teste)

 

O que consta habitualmente num manual

-        Fundamentação teórica da prova

-        Objectivos da prova

-        Procedimentos utilizados na construção da prova

-        Procedimentos utilizados no apuramento dos resultados

-        Regras de aplicação

-        Normas

-        Resultados de investigações

-        Referencias Bibliográficas

 

Para o rigor na aplicação e utilização dos teste é necessário:

ANTES da aplicação

-        A escolha de um teste adaptado aos objectivos da avaliação e à população a que o sujeito pertence.

-        A preparação prévia do avaliador (teórica e técnica)

-        Preparação das condições físicas do local de aplicação (ex: luminosidade, ausência de ruído...)

-        O estabelecimento de uma relação empática com o avaliado (atenção à motivação e disposição do sujeito face à avaliação, ...)

 

DURANTE a aplicação

-        Ler cuidadosa e pausadamente as instruções

-        Não acrescentar instruções às que já estão previstas pelo teste

-        Não sugerir respostas ao sujeito ou dar informação sobre a correcção/incorrecção das respostas dadas.

-        Prestar atenção à cronometragem nos testes com tempo limite ou quando o tempo é um indicador relevante.

 

 

 

APÓS a aplicação

-        Corrigir as respostas (segundo indicações do manual)

-        Proceder à classificação e cotação das respostas e apurar os resultados brutos

-        Derivar os resultados brutos

-        Interpretar a medida quantitativa obtida ( atribuir significado psicológico)

-        Devolver os dados ao avaliado (cliente), integrando-os de forma contextualizada no pedido de avaliação.

 

 

Anos 60: Período de ampla contestação aos testes

 

-        Impacto adverso das medidas obtidas (enviesamento sócio-cultural dos testes)

-        Rotulagem (potencial discriminação de grupos minoritários)

-        Validade facial dos resultados discutível (relevância da aplicação de determinado teste, num determinado contexto)

-        Secretismo dos testes (quer do conteúdo do teste, quer na utilização dos seus resultados)

 

Possíveis razoes para a falta de receptividade à avaliação psicológica nos últimos 30 anos:

-        A identificação da avaliação psicológica com a aplicação dos testes psicológicos perspectiva reducionista da avaliação, a qual comporta outras modalidades.

-        Crença no valor absoluto dos testes os testes são um meio, e não um fim em si.

-        A falta de preparação de docentes, estudantes e profissionais nesta +área desencadeadora de erros na utilização dos testes.

 

A avaliação psicológica actualmente

Assiste-se a uma diminuição das críticas, motivada pela:

-        Perspectivação da avaliação psicológica de forma mais lata

-        Desenvolvimento de novos testes

-        Introdução de melhorias técnicas nos testes

-        Maior investimento na adaptação e estudo de instrumentos de avaliação e na produção de literatura científica nesta área.

-        Universalidade da avaliação psicológica

 

Para CONCLUIR

Na prática , em que consiste a avaliação psicológica ?

 

Exemplos de contextos em que se recorre à avaliação psicológica

-        Contextos clínicos e psicoterapeutico (ex: avaliação da personalidade)

-        Contexto organizacional (ex: procedimentos de selecção e recrutamento de pessoal)

-        Orientação vocacional (ex: avaliação de áreas de interesse)

-        Contexto escolar (ex: identificação de problemas de aprendizagem)

 

Um teste só é útil na medida em que for útil para a pessoa a quem se aplica (cliente do teste) ; se ajudar a resolver o problema fundamental que levou à própria elaboração da estratégia que passou pela aplicação do teste .

 

 

                                                                        22/10/2003 3ª Aula

 

(ver acetatos .... a prof. deu aulas)

 

 

                                                                                                            29/10/2003 4ª Aula

 

(ver acetatos .... a prof. deu aulas)

 

 

 

 

Standards Publicação para Psicólogos que fazem avaliação psicológica.

 

 

Fluxo da Aplicação de Testes

 

  1. Pedido Solicitação de Teste à

 - Definição de Objectivos

  1. Definição de Metodologia de Recolha de Informação à
  2. Avaliação Psicológica com recurso de Testes à
  3. Cotação à
  4. Resultado Bruto à
  5. Resultado derivado (normas) à
  6. Significado Psicológico (interpretar o resultado)


 

 

Enter content here

Enter supporting content here